Água aromatizada para perfumar seu Carnaval

>> sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Neste Carnaval beba muita, muita água! E se sobrar tempo para fazer uma frescurinha, aí vai uma dica de água aromatizada. 


Fiz assim: coloquei água nas forminhas de gelo adicionando 1 folha de hortelã em cada cubinho. Levei para congelar. 

Na hora de servir a água, coloquei 1 cubo de gelo com hortelã e outros cubos de gelo sem. As pedras de gelo derretem rápido, a folhinha de hortelã gruda nas paredes do copo e, enquanto se bebe a água, ela exala o perfuminho da hortelã.  

Como é apenas 1 folhinha de hortelã, ela só perfuma o copo ou taça. O gosto da água não se altera. 

Bom feriado de Carnaval!

Beijos
Paula

Read more...

Carpaccio de maçã com mel e uvas passas

>> domingo, 23 de fevereiro de 2014

Peguei a receita daqui, da minha amiga Renata Boechat, do blog Eternos Prazeres, que até para comer maçã é chic! Adaptei um pouquinho. Além do mel, só utilizei a uva passa que, no final do ano, "brotou" aos montes aqui em casa.


Fiz assim: cortei uma maçã gala em fatias muito finas, reguei com bastante mel e "polvilhei" com uva passa. Pronto!

Como bem disse a Renata, é uma "comidinha para driblar a fome".  Saudável, nutritiva e a palavra "calorias" nem passa pela nossa cabeça ao saborear esse carpaccio.


Beijos e boa semana!

Paula

Read more...

Almoço italiano "in Toscana"

>> quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

No 2º encontro de blogueiras de São Paulo e Interior tive o privilégio de conhecer pessoalmente a Irene do blog Danni e Lype, com quem já conversava virtualmente. Assim que nos encontramos, a Irene me surpreendeu com um belo presente: uma embalagem de talharim de espinafre da Pastifício Primo. Não conhecia a marca, que foi eleita pela revista Veja a melhor rotisserie de São Paulo e com razão, pois é deliciosa!

O gesto da Irene me tocou de uma forma tal que me empolguei a criar uma ocasião especial para saborear o talharim. O tema não foi difícil de escolher: um almoço italiano!

Ainda não conheço a Itália, mas o filme Beleza Roubada, de Bernardo Bertolucci dá noções das belas paisagens de lá. Poético e ingênuo - o filme é um inspirador romance. Suas filmagens foram rodadas na Toscana – “la più bella regione d'Italia”.

A bela Toscana me inspira tons 'terra' como verde, mostarda e vermelho. Por isso estas foram as cores que utilizei na decoração da mesa. Imagino que uma refeição na Toscana seja farta e alegre. Deve ter queijos, cesto com pães, massas, frutas, flores, vinho e água. Então, estes foram itens que fizeram parte da nossa refeição. Assim, usando minha idealização desta bela região, e com ajuda da decoração de mesa deste link, consegui criar o almoço "in Toscana".


Um almoço na Toscana seria a céu aberto, sob uma pérgula repleta de folhagens, com céu azul e temperatura amena. Já que moro em um 'ap' bem fechado, a cor azul do céu  ficou nestes guardanapos de tecido. Eles também contribuíram para contrastar com o tom terra predominante em toda a composição.

Ao montar o arranjo das rosas vermelhas, reservei uma delas e retirei suas pétalas espalhando-as ao redor dos vasos; como que caídas naturalmente.
Já que estamos em elevadas temperaturas neste Verão brasileiro, os antepastos foram escolhidos para refrescar o paladar. Antes do almoço servi azeitonas verdes, pretas, tomate uva e queijo do reino. Como os patês ficariam expostos por muito tempo, sua base foi creme de ricota em vez de maionese. A receita está aqui.

Dois ramos de folhas extraídos dos cabos das rosas foram aproveitados para elaborar o marcador de lugares. Fiz testes colocando-os sobre os guardanapos e ao lado dos talheres, mas achei que teve mais destaque dentro dos pratos onde a massa seria servida.
Gosto muito de utilizar velas em minhas composições de mesas. Entretanto, é preciso cautela já que elas aquecem o ambiente. Como neste dia do almoço estava muito calor, optei por usar apenas um pequeno porta vela. Foi a medida certa para dar um charme à mesa sem aquecer demais.

E aqui está o almoço servido com essa deliciosa massa! O prêmio da Veja realmente faz juz à qualidade. Irene, muito obrigada pelo mimo! Gostei muito! Comi além do esperado - repeti o prato com gosto!
 

Um beijo a todos e bom fim de semana
Paula

Read more...

Happy hour zen

>> segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Certa vez, em uma revista de decoração, vi uma reportagem ilustrativa sobre mesas temáticas. Me chamou a atenção a imagem da mesa com o título ‘Um jantar para o Dalai Lama’. Ambientada de forma rústica, sua harmonia oriental não saiu mais da minha mente. Foi inspirada na imagem que vi que dei origem a este happy hour “zen”.

Utilizei peças da minha coleção de cerâmica de alta temperatura. Já falei a respeito desta arte aqui e aqui. São peças rústicas que, ao mesmo tempo, transmitem muito delicadeza. Só mesmo elas poderiam servir em uma ambientação que nos aproximasse da natureza.

Minha admiração pela arte da cerâmica de alta temperatura tem a ver, também, com minha admiração por todo ofício executado por artesãos. Em pleno século XXI, tenho grande consideração pelos profissionais especializados que produzem peças únicas a partir de matéria prima extraída da natureza - seja das árvores, da terra, dos animais (couro, lã...). Me atrai todo objeto elaborado por artesãos que usam de forma consciente e habilidosa os recursos naturais. Os objetos produzidos manualmente ou no máximo com auxílio de uma ferramenta são únicos. 

No caso da  cerâmica de alta temperatura, reparem que mesmo tendo formato e cores iguais, jamais são as mesmas. Observando as imagens abaixo, pode-se identificar a singularidade de cada peça.

As imagens deste happy hour me surpreenderam. Uma composição minimalista com  alguns galhos de avenca se tornaram uma exposição particular. Seria, talvez, resultado do carinho que tenho pelo ofício dos artesãos?

Nas primeiras imagens as peças estão  vazias, em suas formas e cores únicas. A seguir, as louças já estão preenchidas com petiscos, frutas e patês. Optei por petiscos leves, frios e que pudessem ficar expostos a temperatura ambiente. Servi patês, salgadinhos, torradas e frutas frescas. Este Verão está excessivamente quente, portanto, todo cuidado é pouco com os alimentos expostos.
Utilizei 1/2 cenoura descascada e 1/2 pepino cru para este antepasto. Cortei ambos em palitos do mesmo tamanho, de forma que coubessem no pequeno recipiente que usualmente é utilizado para o molho shoyu. Ao lado deles, dispus um copinho com molho de iogurte. Fiz assim: 1/2 copo de iogurte natural, 2 colheres de sopa de limão, 2 colheres de sopa de azeite, sal e pimenta do reino a gosto. Misturei tudo em um recipiente e pronto! Decorei com um raminho de hortelã.
O salgadinho de algas do destaque é um dos mimos que a Sakura nos presenteou com alguns mimos no 2º encontro de blogueiras de São Paulo e Interior, do qual falo aqui. Este salgadinho é de arroz com alga marinha. O sabor da alga é bem marcante, o que me surpreendeu positivamente, e o salgadinho bem temperado.  Há muito tempo não saboreava um petisco tão gostoso. Parabéns, equipe da Sakura!
Parece que estamos em temporada de jabuticabas e carambolas. Encontrei muitas bandejas delas no sacolão aqui ao lado. Além de serem frutas gostosas para saborear em dias quentes, aguentam bem por algumas horas em temperatura ambiente. São ideais para decorar mesas, tábuas e pratos de frutas. 
Fiz 3 tiops de patês: de azeitona verde, tomate seco e cebola. Todos à base de creme de ricota. Fiquei muito apreensiva em utilizar maionese. A temperatura está tão elevada que receava utilizar maionese como base. Por fim, foi uma feliz escolha pois o sabor de todos os patês agradaram a todos. Utilizei um pote de creme de ricota light de 250g. Dividi a quantidade em três partes, em pequenas travessas. Na primeira parte, adicionei 5 pedaços de tomate seco macerados em pilão em misturei. Na segunda parte adicionei 1/2 xícara de azeitonas verdes em rodela, com 1 colher de salsa e cebolinha picadas; temperei com sal e pimenta do reino. Na terceira parte adiconei 3 colheres de sopa de creme de cebola e misturei. Deixei na geladeira de um dia para o outro.
As bebidas ficaram na geladeira em grande parte do tempo. O calor estava demais. Em um banquinho auxiliar, descansávamos os copos.  
E assim foi nosso happy hour zen. Foi bem leve e feliz. Nem o calor conseguiu inibir nosso apetite!

~.~

Minhas peças foram adquiridas na Casa da Cerâmica Nakatani, em Mogi das Cruzes - SP. Os artesãos da Casa Nakatani também expõem na Feira da Benedito Calixto, aos sábados, no bairro Pinheiros - SP.


Desejo a todos uma linda semana!
Beijos
Paula

Read more...

Santo Antonio do Pinhal e meu voo de paraglider (ou parapente)

>> quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Vamos dar uma fugidinha da capital, respirar ar bem puro da montanha, beber água da fonte naturalmente potável e voar de paraglider? Foi o que fizemos no fim de semana passado e confesso, repetiria muitas outras vezes. Foi bom demais!

Escapamos de São Paulo rumo a Santo Antonio do Pinhal, cidadezinha montanhosa a aproximadamente 180 km de onde moro. Pela rodovia Ayrton Senna o trajeto é muito bonito. Tive a impressão de que o preço do pedágio diminuiu, tornando o passeio por esta rodovia mais acessível.

Santo Antonio do Pinhal é relativamente perto da capital de São Paulo, mas parece muito distante. Suas paisagens e clima são tão mais agradáveis... Sendo uma cidade da montanha, em elevada altitude, suas paisagens mais comuns são os montes forrados de vegetação, principalmente de araucárias e diversos tipos de pinheiros.







Fomos para lá comemorar o aniversário do marido. Ao pesquisar melhor sobre o local, descobri o voo duplo de paraglider. Fiquei bastante empolgada com a oportunidade de voar pela primeira vez a céu aberto. Depois de conversar a respeito com o Príncipe Encantado, decidimos voar juntos! Entramos em contato com o pessoal do site Pico Agudo. No dia e hora marcados lá estava o Carlos, nosso instrutor.

Partimos com o instrutor do centro da cidade em direção ao Pico Agudo que é o ponto de decolagem dos paragliders e asa delta. Seguindo pela estradinha de terra, levamos aproximadamente 15 minutos para chegar ao topo. De lá, antes de voar, tirei algumas fotos panorâmicas como esta.

Pico Agudo
Vista do Pico Agudo


Após analisar as condições climáticas, o Carlos iniciou os preparativos para decolagem: abertura da asa do paraglider, colocação do meu equipamento e nos instruir sobre o voo. Combinamos d’eu ser a primeira a voar para que o marido desbravasse o caminho da volta, já que não conhecíamos o local da aterrissagem e ele queria me orientar direitinho quando fosse a vez dele voar e eu tivesse que buscá-lo.

Estando tudo pronto, equipamento em ordem, eu e o instrutor conectados à asa do paraglider, lá fomos nós. Iuhhhuuuuu!

Meu primeiro voo de Paraglider ou Parapente
Executiva de Panela em voo duplo

Executiva de Panela voando, voando...

Pessoal, o que posso dizer é que foi uma sensação indescritível! Interagir com a natureza, através do voo, é simplesmente espetacular. Para quem tem vontade de voar ao ar livre, vale cada segundo!
Ficamos na mesma altura dos pássaros e foi maravilhoso ver os montes, árvores e estradas lá de cima; tudo isso tomando um vento fresco. Eu sorria muito!
Vista da asa do paraglider, pela Executiva de Panela
Abaixo estão algumas das fotos tiradas por mim. Lá embaixo está o Pico Agudo, local de onde partimos para o voo.

Aqui são os meus pezinhos. Estas fotos dão uma boa noção da altura em que estávamos.




Próximo da área de aterrissagem
E assim foi mais uma aventura maravilhosa da Executiva de Panela. Amei cada segundo deste voo. 

Eco Parque
De volta à terra (rs), outro passeio bem agradável para fazer em Santo Antonio do Pinhal é o Eco Parque. Trata-se de um parque onde, através de uma trilha de concreto, passamos por jardins temáticos.

As trilhas são bastante floridas.

O belo jardim japonês.

Um jardim de cactos e mandacaru.

O jardim de bolhas. Efeito causado com jatos de ar.



Cada jardim tem um painel explicativo sobre o paisagismo e cultura de cada região. Este painel do jardim italiano é um exemplo. Achei interessantíssimo os renascentistas utilizarem régua e compasso para alcançar a simetria de linhas geométrica na paisagem de seus jardins.












Cachoeira do Lajeado e cachoeira do Cassununga
Além do Eco Parque, há duas “cachoeiras” na região. Na verdade são pequenas quedas d’água, mas que não deixam de ser passeios bem agradáveis pois, para se chegar a ambas passa-se por estradas arborizadas e bonitas. No caso da estrada do Lajeado, a estrada é de terra.
Cachoeira do Lajeado






Cachoeira do Cassununga
E onde comer?
No “bistrozin” Canto da Gula – o restaurante mais charmoso de Santo Antônio do Pinhal. Aberto para almoço e jantar. Fomos à noite e, qual foi nossa satisfação ao identificar que a trilha sonora do restaurante era jazz!







A decoração do local é muito charmosa e acolhedora. Não pude deixar de fotografar alguns detalhes, como este quadro, sobre o amor.


É isso aí pessoal! Recomendo Santo Antonio do Pinhal para os paulistanos que gostam de dar sua escapadinha nos fins de semana. A cidade está bem preparada para receber turistas. Há boas opções de pousadas e restaurantes, além do que sugeri nesta postagem. Há também charmosas lojinhas de artesãos muito talentosos. Para mais informações, indico este link http://www.santoantoniopinhal.com.br/

Ah sim... Paraglider é o termo usado em inglês e parapente em francês. 

Beijos e um lindo final de semana!
Paula

Read more...

Arroz com passas

>> segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Acho que este arroz poderia também chamar-se arroz de Verão, porque ele é bastante saboroso em temperatura ambiente. Não precisa estar quente ou morno. Para esse calorão que estamos passando, vai bem com um grelhado.

Ingredientes
2 xícaras de chá de arroz
1 cebola média cortada em cubinhos (brunoise)
2 dentes de alho
1 colher de sopa de óleo vegetal (canola, girassol,...)
Sal a gosto
6 xícaras de água quente
1 xícara de chá de ervilha
1 xícara de chá de milho verde
1 xícara de chá de passas
1 colher de sopa de salsinha picada

Modo de Preparo
Em uma travessa de vidro coloque a ervilha, o milho e as passas. Cubra com 2 xícaras de água quente. Deixe descansando enquanto prepara o arroz.

Prepare o arroz assim: em uma peneira, lave o arroz em água corrente e escorra. Reserve. Pique a cebola em cubinhos pequenos (brunoise). Esmague os 2 dentes de alho em um pilão. Em uma panela média, coloque o óleo. Acenda o fogo e refogue a cebola no óleo em fogo médio. Assim que a cebola ficar transparente, adicione o alho. Não deixe nem a cebola nem o alho dourar. Mexa apenas por poucos segundos e adicione rapidamente o arroz. Mexa o arroz para fritar um pouco (no máximo 5 minutos), adicione o sal a gosto. Mexa mais um pouco. Despeje 2 ½ xícaras de água quente. Tampe a panela parcialmente. Aguarde a água secar para adicionar mais 2 xícaras de água. Assim que essa segunda adição de água secar, desligue o fogo. Reserve.

Coe a ervilha, o milho e as passas. Adicione-os ao arroz já pronto, misturando delicadamente. Polvilhe com a salsinha. Está pronto!

Bom apetite!

Beijos e boa semana!
Paula



Read more...

Back to TOP