Blinis au Demidoff do filme A Festa de Babette

>> terça-feira, 26 de fevereiro de 2013



‘Filme no prato e suas bebidas’ é a proposta de Blogagem Coletiva do ‘Falando com as Batatas’, blog administrado pela Luci, com colaboração da Iris. Uma vez por mês, toda última terça-feira do mês, sugere-se publicar postagens de pratos servidos em filmes. Não poderia deixar de participar deste projeto formidável, já que gastronomia e filmes são assuntos de forte interesse meu.

Como deve ser com a maioria de vocês, meus filmes favoritos estão relacionados com minha fase de vida. Quando criança, por exemplo, lembro-me claramente da minha predileção pelo desenho/filme ‘Branca de Neve e os Sete Anões’. Na fase infanto-juvenil diverti-me com as peripécias de Beetlejuice em ‘Os fantasmas se divertem’; passando então, na adolescência, a vibrar com a irreverência de Matthew Broderick em ‘Curtindo a vida adoidado’. E assim, ao longo das minhas fases de vida, fui passando ao favoritismo de um filme para outro. 

Atualmente, meu filme favorito reflete a fase que vivencio. Ele trata de dois aspectos muito importantes para mim no momento: espiritualidade e gastronomia. O filme é ‘A Festa de Babette’. 

Pelo menos uma vez por semana frequento a igreja da religião da qual sou batizada. É incessante minha busca pelo bem, pelo sublime e pelo sagrado. Quero, cada vez mais, trilhar esse maravilhoso caminho da bondade. Para isso, é preciso aprendizado. O meu aprendizado, no momento, está sendo ‘perdoar’. Algo que envolve fé na mais pura forma de ser. Fé naquilo que não se vê, mas no que se suspeita ser. 

Quanto à gastronomia; o filme reflete a mais fina forma de se servir. Não pela sofisticação do serviço de prataria e porcelana com o qual as iguarias são servidas, mas pela felicidade que os convidados terminam o banquete. A cena em que os anciães e anciãs dão-se as mãos e fazem ciranda é das mais inebriantes. Para mim, a boa culinária é essa: fazer feliz a quem se alimenta. E isso, minha gente, requer talento, prática e sobretudo, olhar o próximo e entender quais as necessidades de cada um. 

Voltando à minha participação na Blogagem Coletiva, apresento uma das iguarias servidas no magnífico jantar, que adaptei daqui .





‘Blinis au Demidoff’ 

Ingredientes

1 xícara de chá de leite
1 colher chá de fermento biológico em pó
1 1/2 copo de farinha de trigo
2 unidades de gema de ovo batida(s)
1/4 xícara de nata  (não usei)
quanto baste de sal
2 unidades de clara de ovo batidas
1 colher de sopa de manteiga
125 gr de caviar
1 xícara(s) (chá) de creme de iogurte (usei creme de ricota light da Tirolez)

*Importante mencionar que substitui o creme azedo pelo creme de ricota light da Tirolez.  A Tirolez não é patrocinadora deste blog, tampouco ganhei algum prêmio através dos sorteios; mas não é por isso que deixarei de recomendar esse creme de ricota, muito bom. No blinis, o creme de ricota combinou perfeitamente com o sabor acentuado do caviar, conferindo gosto mais equilibrado e agradável.

Modo de preparo

Em uma vasilha pequena, dissolva o fermento no leite, acrescente 1 xícara da farinha e bata até a mistura ficar homogênea.Cubra a vasilha com um pano limpo, coloque-a em um lugar morno, e deixe-a descansando por duas horas, para a massa crescer. Após as duas horas, faça um furo no meio da massa e coloque as gemas, a nata e a ½ xícara de farinha restante. Junte o sal e as claras em neve, com cuidado, para não desandar. Misture levemente, cubra e deixe descansar por mais 30-40 min.

Esquente uma panela de fundo grosso em fogo médio e junte a manteiga. Utilizando uma colher de sopa, forme os blinis de mais ou menos 7 cm. Ponha vários blinis juntos para fritar. Faça dourar de cada lado.

Quando prontos, colocar sobre chapa quente. Sirva 3 a 4 blinis por pessoa com o creme de iogurte e o caviar.



~.~ 

Servi o blinis com Amontillado - destilado espanhol, típico da região de Andaluzia, muito utilizado como aperitivo antes das refeições ou até acompanhando tira-gostos.  Esta garrafa veio diretamente da Espanha, trazida por um gentil Diretor da empresa que trabalho.  Mesmo não tendo hábito de tomar bebidas álcoolicas, ficamos curiosos com essa espécie de ‘licor’ servido no banquete da Babette. Esse foi o motivo de querermos experimentar o 'tal' Amontillado, uma bebida forte e amadeirada.























~.~

Em homenagem a este belíssimo filme e finalizando esta postagem que me deu muito prazer em escrever, reproduzo abaixo o inesquecível discurso do General, durante o banquete. Fiz questão de transcrever em português, francês e inglês porque todas as traduções estão belíssimas, poéticas e refletem o profundo e divino significado das palavras do General. Parabéns à sensibilidade do(s) tradutor(es).

A misericórdia e a verdade devem se encontrar. 
A retidão e a felicidade devem se beijar mutuamente. 
O homem, em sua fraqueza e imprevidência, crê que deve fazer escolhas nesta vida. 
Ele treme ante o risco que corre. 
Nós conhecemos o medo. 
Mas não. 
Nossa escolha não tem importância. 
Haverá um tempo em que seus olhos estarão abertos, e compreenderemos que a misericórdia é infinita. 
Só precisamos esperá-la com confiança, e recebê-la com gratidão. 
A misericórdia não impõe condições 
E, vejam! 
Tudo que escolhemos nos é concedido. 
E tudo que rejeitamos também nos é dado. 
Sim, nos é devolvido aquilo que rejeitamos. 
Porque a misericórdia e a verdade devem se encontrar. 
E a retidão e a felicidade devem se beijar mutuamente. 



La miséricorde et la vérité se sont rencontrées. 
La doriture et La beatitude s’embrasseront l’une l’autre. 
L’homme, dans as faiblesse et son maque de perspicacité croit qu’il doit faire un choix dans cette vie. 
Il tremble devant le risqué qu’il prend. 
Nous connaissons cette peur. 
Mais non. 
Notre choix n’a aucune importance. 
Un moment viendra où nos yeux s’ouvriront. 
Et nous réaliserons que la miséricorde est infinie. 
Il nous suffit de l’attendre avec confiance et la recevoir avec gratitude. 
La miséricorde n’impose aucune condition. 
Et voilà! 
Tout ce que nous avons choisi nous a été accordé. 
Et tout ce que nous avons rejeté nous a aussi été accordé. 
Oui, nous retrouvons même ce que nous avons rejeté. 
Car la miséricorde et la vérité se sont rencontrées. 
Et la droiture et la beatitude s’embrasseront l’une l’autre. 



Mercy and truth have met together. 
Righteousness and bliss shall kiss one another. 
Man, in his weakness and shortsightedness believes he must make choices in this life. 
He trembles at the risks he takes. 
We do know fear. 
But no. 
Our choice is of no importance. 
There comes a time when your eyes are opened. 
And we come to realize that mercy is infinite. 
We need only await it with confidence and receive it with gratitude. 
Mercy imposes no conditions. 
And, lo! 
Everything we have chosen has been granted to us. 
And everything we rejected has also been granted. 
Yes, we even get back what we rejected. 
For mercy and truth are met together. 
And righteousness and bliss shall kiss one another. 

~.~

Tudo de bom e de mais sublime para todas nós!

Beijos,
Paula

24 comentários:

Fê Dayrell 26 de fevereiro de 2013 10:55  

Gostei muito do seu post, suas palavras foram perfeitamente escolhida e resultaram em um texto viciante, não queria que ele acabasse, reli duas vezes.

O blinis ficou bem ao meu gosto e com certeza a combinação do creme de ricota com o caviar resultou em algo incrível.
bjo

Marisa Vlasic 26 de fevereiro de 2013 11:32  

Magnífica postagem Paula!! Esse filme é maravilhoso, agora depois de ler o seu post fiquei com vontade de assistir de novo e os seu blinis estão com um aspecto delicioso. Tudo perfeito, amei!!

Beijinhos
Marisa

Renata Boechat 26 de fevereiro de 2013 11:48  

Bravo, bravíssimo!!!

Seu post merece um Oscar minha amiga!

Que belo, que sutileza, muito agradável, sem dúvida!

Com certeza "A festa de Babette" é sim um dos muitos filmes que me marcaram também, afinal, o prazer de preparar a refeição e depois o prazer e alegria de reparti-la é algo que me acompanha sempre,

Parabéns, brilhante!

marijose 26 de fevereiro de 2013 12:37  

Unoa bocaditos deliciosos Paula, me han encantado, besos

Bia Jubiart 26 de fevereiro de 2013 13:08  

Nossa! Deve ter ficado muito bommmmm!!!
Paula, nunca comi caviar, sei que são ovas em salmoura e só! Assisti este filme duas vezes, gosto muito de ver filme que tenha tema gastronômico.

Obrigada pelos elogios na Jubiart, fiquei me "sentindo" rsrsrs.

Tenha uma ótima tarde!

luci 26 de fevereiro de 2013 13:32  

Paula que post lindo ,você escolheu um bom filme e parabéns pelo prato que delícia eu adorei tudo
Obrigada pela linda participação
já coloquei o seu link
Uma linda terça-feira
beijos

Guloso e Saudável 26 de fevereiro de 2013 14:40  

Oi Paula,
Sempre gosto de seus posts, são sempre prazerosos, mas hoje tem tanto no texto como na receita tem um novo ingrediente que o tornou mais especial, parabéns.
Beijo,
Vânia

lena 26 de fevereiro de 2013 15:13  

Não vi o filme, mas adorei o post. Muito bem escrito e a receita é fantástica. Parabéns.
Beijinhos grandes.

Santa Gastronomia 26 de fevereiro de 2013 16:11  

Clap, clap, clap!
Parbéns, Paula!
Adorei a sua postagem mesmo porque esse também é um dos meus filmes favoritos!

Bjus,
Sandra Bylaardt

Ana Claudia 26 de fevereiro de 2013 16:27  

Post incrível, gostei muito Paula, parabéns pela participação na BC da Luci.
Beijinhos

Josy 26 de fevereiro de 2013 18:40  

Paulinha querida ai como me lembro do filme Curtindo a vida Adoidado hehe, muito bom né, assisti muitas vezes. Miga amei seu post, de uma sensibilidade impressionante, amei esse filme e de fato a cena da ciranda é muito marcante e o filme é pura espiritualidade que nos faz refletir sobre como fazer alguém feliz com um simples prato, desde que façamos com alegria também. Lindos seus blinis, uma entradinha linda e saborosa. Beijocas

Danni e Lype 26 de fevereiro de 2013 21:37  

Querida Paulinha,
Adorei o seu post!!! Combinar filmes com gastronomia é uma excelente ideia!!! E você anda muito chique, heim??? Prato LINDO e MARAVILHOSO!!!
Grande beijo, Irene

arte da sadhia na cozinha 27 de fevereiro de 2013 07:27  

minha querida esta maravilhoso e gostoso ameiii a combinaçãod e sabores esta perfeita bjão grandes

O meu pensamento viaja 27 de fevereiro de 2013 07:52  

Paula, gosto de blinis, da Festa de Babette, mas , essencialmente, desde texto, puro, tranquilo, pacificador.
Obrigada!

Bel 27 de fevereiro de 2013 10:48  

Que lindo post,não vi o filme mas agora me deu vontade de ver! E também de experimentar essa deliciosa receita! hehe. Bjos.

Cozinha de Mulher 27 de fevereiro de 2013 23:19  

Paula minha linda.. que linda participação.
Menina essa BC está demais né?
As meninas arrasaram..
Eu amei participara também...
Aliás eu já escolhi o filme de março kkkk
Um beijo mais que carinhoso e uma noite linda.. linda..

Renata 28 de fevereiro de 2013 07:31  

Oi Paula, finalmente estou de volta! Ufa....
Amei seu post e mais ainda essa idéia super bacana de reproduzir uma iguaria que aparece em algum filme. Super 10 essa idéia. Seu post ficou impecável! Parabéns!
bjssss

Coisas de Tássia 28 de fevereiro de 2013 11:00  

Que delicia de receitinha. sabe que os meus filmes favoritos tbm dependem muito de como estou.

Com o seu post lembrei do programa Que Marravilha! em que o Claude ensinou a fazer uma receita de um prato do filme "A festa de Babette" pois a participante do seu programa adorava o filme! Vale a pena procurar no site do programa.

Bjos

Lylia 28 de fevereiro de 2013 14:17  

Parabéns pela linda postagem, Paula. Gostei muito de ver reproduzido aqui o discurso do general. Vou levá-lo comigo.
Hoje indiquei você para dar continuidade a uma brincadeira no Simples Assim.
Bj,
Lylia

Michele Andrade 3 de março de 2013 15:17  

Adorei o post, ainda não vi o filme, mas já fiquei com vontade, rs.
Bjs e boa semana.

www.atelierartedecor.blogspot.com

Nanda Bez 13 de março de 2013 19:07  

Nunca assisti ao filme, mas deve ser ótimo. De fato, o principal motivo da comida preparada com carinho é trazer alegria a quem come. Pelo menos eu sou assim.

E caviar é tudo de bom, esse receita deve ter ficado incrível.

Katia Bonfadini 14 de março de 2013 08:02  

Hummm, que delícia! E a apresentação, hein? Nota dez!!!! Beijos!

Back to TOP