Brunch de Páscoa

>> quinta-feira, 29 de março de 2012

Muito, muito antes d'eu sonhar em ter um blog, já "aprontava" festinhas e reuniões aqui  em casa. Sempre gostei de cozinhar e receber amigos e familiares. Os inúmeros compromissos de todos, porém, impedem que esses encontros aconteçam com a frequência que gostaria. Ainda assim, ter visitas é sempre uma festa para mim... uma alegria.

Na Páscoa do ano passado, convidei minha família para um "brunch". Algo novo para mim porque jamais havia oferecido um.

A idéia partiu, sobretudo, do bem-estar dos convidados. Queria passar o máximo de tempo junto com eles, beliscando e bebendo. Como o café-da-manhã acontece cedo demais e um almoço tem tempo certo para terminar; achei que um "brunch" era a pedida pois permite aos convidados dormir até mais tarde no dia do evento, chegar próximo do almoço para o café, e beliscar a tarde inteira.

Atenção! Para o "brunch" quem acorda mais cedo é a anfitriã, de forma que quando os convidados chegam, os pãezinhos, frios, bolos, frutas, sucos, café, chocolate, leite, geléias e tudo o mais esteja fresco e disposto à mesa da forma mais charmosa possível. Mas quem gosta de receber sabe que a satisfação da festa começa beeem antes dos convidados chegarem.

Bem, vamos ao primeiro passo. Qual o cardápio? Como era a primeira vez que oferecia um "brunch", não sabia o que servir. Pesquisei na internet e decidi por uma variedade de queijos, pães e torradas, uma torta salgada, patê e requeijão, frutas, um bolo doce e uma torta de morango "desconstruída". Nada 'light' mas muito bom.

E a decoração? Toda decoração de mesa que faço começa com um planejamento de cores e louças. Geralmente utilizo duas cores base e vejo se as louças que tenho combinam. Para este 'brunch' pensei em verde e rosa. Vasculhei as louças brancas que tinha em casa e, aos pouquinhos, fui montando a mesa.

E aí está o resultado da mesa do  nosso "brunch" de Páscoa, no ano passado.

Nas colheres de degustação está a torta de morango "desconstruída". Trouxe a torta inteira, cortei-a em pedaços e montei-as nas colheres.
Nas panelinhas coloquei patê de atum e requeijão, mas só servi quando todos chegaram. A bonita torta de palmito foi encomendada.

Comprei um bolinho na padaria. Cortei-os em pedaços pequenos, envolvi cada um com uma tira de papel manteiga e dei um lacinho com fita de cetim verde.
Em uma mesinha de canto, próxima da mesa, coloquei os sucos de uva e laranja. O forro da bandeja é papel sulfite A4, impresso com um fundo encontrado na internet.  
O café, leite frio, leite quente, chocolate, água, adoçante e açucar ficaram em um balcão da cozinha. Os coelhinhos fofos são presentes da Katia Bonfadini, neste link do blog Casos e Coisas da Bonfa.

E aí pessoal, gostaram?

Para nós, valeu! Foi um encontro feliz, regado a muita comidinha, filmes, papo e, no fim da tarde, até cochilos (para alguns).

Beijos a todos e um lindo fim de semana!
Paula

Read more...

Estrogonofe de carne

>> domingo, 25 de março de 2012

É, sem dúvida, o meu prato favorito! Procurei no 'google' a forma original de escrever 'estrogonofe'  e   que surpresa (!), encontrei inúmeras grafias. Bem, pelo menos uma dúvida foi sanada: a origem do prato é russa! Esta receita de hoje é um presente da minha amada tia Dida, uma mestre na cozinha. Digo 'presente' porque depois que aprendi a fazer esta receita de estrogonofe, nunca mais encontrei outro igual por aí. O resultado é maravilhoso, além de ser rápido e fácil prepará-lo.


Ingredientes

500 gr de filet mignon (também pode ser alcatra), cortado em cubos pequenos
sal e pimenta do reino a gosto
200 gr de manteiga
1 cebola grande ralada ou picadinha
3 colheres de sopa de ketchup
2 colheres de sopa de mostarda
1/2 xícara de conhaque
300 gr de champignon (pode ser inteiro, cortado ao meio ou em fatias)
2 colheres de sopa de maizena
1 lata de creme de leite com soro


Modo de preparo

Tempere a carne com uns 30 minutos de antecedência antes de iniciar o preparo: coloque-a em uma vasilha com sal e pimenta do reino a gosto. Mexa bem. Deixe descansar. Passado o tempo de descanso, leve ao fogo baixo uma panela grande com a manteiga . Deixe derreter. Jogue a cebola picada e aguarde até ficar translúcida. Jogue a carne dentro, mexa e deixe refogar bem. Quando toda a carne perder a cor vermelha, adicione o ketchup e a mostarda. A carne vai formar água. Quando a água secar, é hora de flambar com conhaque.

Como flambar a carne: use um palito grande, desses de churrasco. Acenda-o no fogo da panela. Feito isso, jogue todo o conhaque sobre a carne e aproxime o palito de churrasco aceso. A carne vai literalmente "pegar fogo", mas apagará rápido. Se você se sentir desconfortável com o tempo de flambagem, tampe a panela. Mas por favor jamais, jamais jogue água ou use pano para acabar com o fogo. Basta tampar a panela com sua própria tampa.

Terminada a flambagem, coloque 3 xícaras d'água e os champignons para cozinharem junto com a carne. Enquanto isso, dilua a maizena em 1 xícara de água. Adicione à panela. Misture bem. Quando o líquido da panela engrossar, adicione o creme de leite e misture bem, sem parar de mexer. Após alguns segundos misturando, desligue o fogo. Não tampe a panela. Sirva com arroz branco e batata palha.

Recomendo este prato para todas as ocasiões: almoços e jantares. É o meu 'curinga'. Além disso, não demanda tempo e é facílimo de preparar. Não esqueçam de separar todos os ingredientes antes de começar, pois uma vez iniciado o processo do fogão, as fases passam rápido e não dá para ficar pegando os ingredientes na hora.

Um grande beijo a todos e uma linda semana!
Paula

Read more...

Priscilla - a Rainha do Deserto e um bolinho branco

>> quarta-feira, 14 de março de 2012

Pessoal, estou super feliz! Ontem tive o privilégio de assistir a pré-estreia do musical Priscilla - Rainha do Deserto, no Teatro Bradesco dentro do Bourbon Shopping, na Zona Oeste de São Paulo. O musical é  espetacular! Amei! Amei! Amei! Poderia assisti-lo 10, 100, 1000 ou mais vezes que jamais me cansaria.  Vi o filme no cinema, na década de 90 e tenho-o em DVD. Perdi as contas das vezes em que o assisti aqui em casa. Sou fã. Talvez por isso estava bastante receosa em relação ao musical. Tinha convicção de que não 'chegaria aos pés' do filme. Engano meu absoluto! O elenco é da melhor qualidade - atores que dançam e cantam em português e inglês, com técnica, graça e muita naturalidade.

Dancei (dentro do que é possível sentada em uma poltrona), bati muitas palmas, sorri muito, chorei de emoção e felicidade em vários momentos, e me maravilhei com cada quadro do musical. No final, minha vontade era subir no palco e abraçar cada ator de todo o elenco, e dar meus parabéns pelo belíssimo trabalho! O teatro estava lotado e delirou no clima de alegria, competência e capricho.O musical é SENSACIONAL! Quem tiver vontade ou oportunidade, ! É satisfação na certa!

Agora, vamos a um bolinho que encontrei no livro Dona Benta, 76ª edição de 2007. O sabor deste bolinho surpreendeu, dada a sua simplicidade de ingredientes e modo de preparo. A massa é branquinha e fofa, seu nome...

Bolo Branco

Ingredientes
2 xícaras de chá de açucar
2 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de chá de leite
2 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
5 claras em neve
Casca ralada de 1 limão

Modo de preparo
Bata bem o açucar com a manteiga. Adicione alternadamente o leite, a farinha de trigo e o fermento. Acrescente delicadamente as claras batidas em neve e as raspas de limão. Despeje em uma forma redonda com furo no meio, untada e polvilhada com farinha de trigo. Leve ao fogo médio (180º). No meu forno, levou 35 minutos para assar. Vocês verão que as raspas do limão dão um gostinho especial ao bolo.

Com as gemas que sobraram fiz uma omelete: piquei um tomate em pedacinhos e juntei às gemas, com lascas de queijo branco seco. Misturei tudo e temperei com pimenta do reino e sal. "Fritei" em uma omeleteira e servi com folhas de alface america.
~.~



Beijos a todos e, se forem assistir ao musical da Priscilla, me contem, ok?

Paula

Read more...

Queijos & Vinhos para uma happy hour

>> sábado, 10 de março de 2012

No mês de fevereiro, em meio a turbulência da mudança do escritório, houve a feliz pausa para o Carnaval. Foram 5 dias de descanso, contando com o fim de semana. O descanso foi acompanhado de bons livros, boas compras, arte e um pouquinho de cozinha. Não viajamos para evitar estradas e lugares cheios - o dia-a-dia de São Paulo, cidade com ca. 11 milhões de habitantes, já é o suficiente para nós. rs

Nos despedimos desses 5 maravilhosos dias com este ‘happy hour', que era para ter acontecido no 'Valentine's Day' e não foi possível a concretização devido à (minha) falta de tempo.
Há muito queria usar estes bonitos guardanapos que ganhei no sorteio do blog Receber e Celebrar. A Marina e a Mel administram um blog muito simpático e cheio de idéias bonitas e úteis para quem gosta de receber e celebrar. A propósito, foi a primeira e única vez que fui premiada em um sorteio de blog. (Espero que não seja a última - rs). 
A decoração de mesa foi inspirada neste post do delicioso Casos e Coisas da Bonfa. Na minha opinião, esta decoração de mesa feita pela querida Katia Bonfadini é uma das mais bonitas que já vi. 
Foi um fim de tarde quente, por isso - após nos servimos - devolviamos o vinho branco para a geladeira para manter sua temperatura bem gelada.
Este queijo verde da tábua é o queijo pesto. Encontrei-o no Pão de Açucar aqui perto de casa e não resisti. Apesar da cor, sua textura é macia e seu sabor é bem suave - ainda que marcante, devido ao composto de ervas.
As tigelinhas redondas e maiores foram presente da minha mãe. Desde que iniciei o blog, ela me incentiva com idéias e traz coisinhas de cozinha & mesa para mim. As colherzinhas para degustação e potinhos menores são descartáveis da marca 'Decorplastic'. Uma graça, né?
Comprei diversos tipos de torradinhas e biscoitinhos em lugar do pão. Sendo pequeninos, são mais fáceis e práticos de manusear.
E aqui está a composição inteira. Esta mesa de centro foi improvisada na sala: juntei dois 'pufes', coloquei uma tábua sob medida sobre eles e forrei com a toalha preta. Sentamo-nos no sofá e aproveitamos este 'lanchinho' diferente.
A turbulência está passando. Se Deus quiser em breve o ritmo volta a ser acelerado - por enquanto está muito além disso: uma "loucura". Me desculpem - familiares e amigos - por retornar os e-mails e telefonemas com tanta demora. É pura falta de tempo aliada ao  cansaço. Às amigas blogueiras, agradeço do fundo do coração o carinho, visitas e comentários. É uma alegria chegar tarde da noite, dar uma olhadinha aqui no blog e encontrar comentários tão simpáticos e incentivadores. Obrigada!

Aos poucos volto a colocar as coisas em dia. Como diria Eclesiastes, "é tempo de trabalhar". O momento realmente exige dedicação ao trabalho. Em breve o ritmo retornar ao normal!

Beijos e um lindo final de semana
Paula

Read more...

Back to TOP